Macedónia

Independente desde 1993, depois de ter pertencido à Jugoslávia Socialista, a República da Macedónia viveu, até há poucos anos, tempos conturbados numa região da Europa já de si problemática. Situada na Península Balcânica, a Macedónia está rodeada pelo Kosovo, pela Bulgária, pela Grécia e ainda pela Albânia. Com uma fauna e flora ricas, refletidas nos três parques nacionais que alberga (Mavrovo, Galicicia e Pelister), o país conta com cidades ricas em património histórico. Skopje, a capital, é disso exemplo.
Localizada a Norte, a capital mistura edifícios modernos com marcas importantes do passado. Entre os locais mais característicos da cidade destaca-se o Museu, a Ponte de Pedra, a Igreja de São Salvador, a Igreja de Nossa Senhora, as Mesquitas Mustapha Pasha, Murat Pasha e Isa Bey, o Mosteiro Marko?s, o Palácio Ristik, a Porta da Macedónia, a Fonte com a Estátua de ?Alexandre, o Grande?, a Praça Tito, a Gruta Vrelo e o Lago Matka e desfiladeiro. Um percurso pela cidade é um passeio pela História do país e da Jugoslávia.
A Norte da capital, mais uma cidade importante merece uma visita. Trata-se de Kumanovo, palco de vários conflitos, daí que não seja de estranhar a presença de memoriais, nomeadamente o que homenageia os que perderam a vida na II Guerra Mundial. As Igrejas de São Nicolau, da Santíssima Trindade e de São Jorge, assim como o Observatório de Kokino são mais algumas atrações desta cidade.
Com cerca de 700 mil turistas por ano, a Macedónia tem os principais tesouros na região Oeste. No Centro Oeste encontramos Debar, cenário do Parque de Mavrovo. O Mosteiro de Rajcica, o de Jovan Bigorski e a Estátua de Skenderberg são as atrações da cidade. Mais a Sul, Pripel, a chamada ?Alexandria?, em honra de ?Alexandre, o Grande?, famosa pela Torre do Relógio, a Igreja de São Nicolau e o Mosteiro Treskavec.
Bitola, a segunda maior cidade do país, é também um ponto a fixar no mapa da Macedónia. No sopé da montanha Baba, Bitola apresenta um vasto conjunto de locais de interesse. A Casa dos Oficiais, a Igreja do Sagrado Coração, as ruínas de Heraclea, o Parque Pelister, a Praça Magnólia, os muitos bazares e as diversas mesquitas tornam esta cidade um encanto para os visitantes. 
O mesmo se pode dizer da Região de Ohrid, classificada como Património Mundial pela UNESCO. A beleza natural do lago, bem como das paisagens que o circundam deslumbram qualquer um. Além da beleza natural deste que é o lago mais profundo dos Balcãs e um dos mais antigos da Europa, as margens estão recheadas de património histórico e arqueológico. São cerca de 250 os locais com importância arqueológica na região, que conta com monumentos fascinantes. As muralhas, a Igreja de São João, a de Santa Sofia, a de São Clemente, a de São Panteleimon, o Forte de Samuel, o antigo teatro, a Praça da República ou as típicas casas da Macedónia são atrações que adornam as margens do lago, considerado um ?museu de fósseis vivos?, com mais de 200 espécies endémicas.
O Lago Dorjan e a cidade, a cidade de pedra Kuklica, a Montanha Sar ou a Korab, bem como a Igreja Ortodoxa de Radovis (já na zona Leste) ou a Catarata Smolare são apenas mais alguns tesouros a descobrir neste país que, embora continue a ser um dos mais pobres da Europa, tem um património incalculável, marcas de um passado atribulado que todos podem ver e aproveitar para refletir.

QRCode: Macedónia



Área: 25.713 km²

População: 2.038.154

Capital: Skopje (668.518)

Per capita (US$): 7.645

Língua: Macedónio

Religião: Cristianismo (Ortodoxo) e Islamismo