Itália

Os 47 locais classificados pela Unesco como Património Mundial demonstram bem a grandeza patrimonial e histórica da Itália, a ?bota? da Europa que, além da parte continental, integra várias ilhas no Adriático e no Mediterrâneo, nomeadamente a Sardenha e a Sicília (famosas pelas belas paisagens naturais e pelas praias) e ainda por um enclave em território suíço, Campione d?Italia. Dentro do território continental, dois estados autónomos estão inseridos: San Marino e o Vaticano, estado da Santa Sé, encravado na cidade de Roma, capital da Itália.
Com uma importância inigualável ao longo dos séculos, a Itália foi um dos países principais na Antiguidade Clássica e o berço do Renascimento. Marcas de um passado grandioso estão espalhadas por todo o país e é difícil eleger uma cidade, um monumento, uma praça ou uma fonte. Em cada esquina há um tesouro para descobrir nas 20 regiões que completam o estado italiano.
De Norte para Sul, comecemos o percurso por terras italianas pelos Alpes, onde se destacam os vestígios das casas palafitas bem como uma obra de engenharia magnífica, que a Itália partilha com a Suíça, o caminho-de-ferro de Albula e as paisagens de Bernina, com vários túneis, pontes e galerias, que permitem apreciar a beleza das paisagens alpinas. Ambos os locais são Património da Humanidade, assim como os fósseis do Monte San Giorgio e as Dolomitas, cadeias montanhosas dos Alpes orientais, cujo ponto mais alto tem 3343 metros. Ainda a Norte, na região de Emília-Romanha, destacamos a cidade de Modena, com a sua catedral, a Torre Cívica e a Praça Maior, a de Ravenna, com belos monumentos e mosaicos cristãos, Ferrara, ?a cidade do Renascimento?, onde se criou o conceito de cidade perfeita, e Bolonha, cujos pontos marcantes são a Basílica de São Petrónio, a Praça e Fonte de Neptuno ou a Igreja de Santa Maria dos Escravos.
Génova é a cidade em destaque na região de Ligúria. A catedral, o Palácio Ducal, o porto e o seu farol são alguns pontos turísticos. Destaque ainda para três ruas: Garibaldi, Cairoli e Balbi, onde se encontram os Palazzi del Rolli, 43 palácios de nobres, classificados pela UNESCO. Nesta região, impossível não visitar mais um local Património Mundial, Portovenere, Cinque Terre (cinco pequenas vilas com vista saída para o mar) e as ilhas, regiões belíssimas, que mostram como o Homem conseguiu construir, viver e trabalhar, apesar do terreno acidentado. 
Milão, cidade da moda, que mistura imensas obras renascentistas com um Design moderno, é a capital da região da Lombardia, também repleta de belos recantos. A Igreja de Santa Maria della Grazie, onde está o fresco de Da Vinci da ?Última Ceia? é o marco mais importante da região milanesa. Mantua e Sabbioneta, com um claro desenho urbanístico do Renascimento, e as pinturas rupestres de Valcamonica, um dos maiores complexos pré-históricos do mundo, são outros pontos imperdíveis nesta região. Impossível esquecer também os Sacri Monti, nove montes sagrados, rodeados de uma bela paisagem natural, que se espalham entre a Lombardia e Piedmont. Em Piedmont tem que se destacar as belíssimas residências da Casa Real de Sabóia, em Turim e Turino. Além destas residências, Turim tem como símbolo principal o Mole Antonelliana, que abriga o Museu Nacional do Cinema.
Ainda no Norte do país está aquela que muitos consideram a mais bela cidade do mundo, Veneza, com a sua lagoa, os canais, as gôndolas, a Praça de São Marcos, a Ponte de Rialto ou a dos Suspiros. Verona, com marcas da Idade Média misturadas com as do Renascimento, Vicenza, com as vilas paladinas do Vêneto, e Pádua, com a famosa Basílica de Santo António e o jardim botânico, são mais três cidades que merecem uma visita e que também constam da lista da UNESCO. Descendo até à bela Toscana, na costa ocidental, encontramos imensos locais de realce. Florença é o maior dos tesouros da região. Na cidade berço da família Médici encontramos obras de Miguel Ângelo, Da Vinci, Donatello, entre outros artistas renascentistas. O Templo Maggiore, a Catedral de Santa Maria del Fiore, o Palácio Velho ou a Ponte Vecchio são atrações da cidade, Património Mundial. O mesmo título está entregue ao Centro Histórico de San Gimignano, com as suas casas-torre, à beleza arquitetónica do centro histórico de Siena, o de Pienza, as colinas do Val d?Oria, e à Praça de Duomo e à famosa Torre de Pisa.
A Sul da Toscana, a região que guarda a capital do país, Roma, que integra ainda o estado do Vaticano, com a maior igreja do mundo, a Basílica de São Pedro. A cidade, Património Mundial, conta com centenas de igrejas, de pontes, de fontes, museus e parques. O Panteão, a Fonte di Trevi, o Coliseu, o Fórum Romano, o Templo de Saturno, o Templo da Paz, o Arco de Constantino, o Castelo de Santo Ângelo, as Praças de Espanha, de Minerva, Colonna e Venezia, a Muralha Aureliana ou o Arco de Tito são locais imperdíveis entre os milhares que Roma tem para oferecer. Serão precisos largos dias para beber toda a cultura que a capital italiana transborda. Perto de Roma, Tivoli é também um ponto de paragem obrigatório com dois locais classificados pela UNESCO: a Villa Adriana, com ruínas de imensos monumentos, e a Villa d?Este, com um palácio e jardins dotados de rara beleza.
Em Umbria, destaque para a cidade berço de São Francisco de Assis, Assisi, com uma enorme basílica e outros monumentos franciscanos. Mais para Sul, na Campania, o destaque vai para a cidade de Nápoles, onde se encontra o vulcão Vesúvio, que cobriu de cinzas Pompeia e Herculano. As ruínas, agora à vista, são Património da Humanidade. O mesmo acontece com o Palácio Real de Caserta, com belos jardins e fontes, as três cadeias montanhosas do Parque Natural do Cilento e Vallo di Diano, e a Costa Almafitana, dotada de grande beleza natural e de uma biodiversidade relevante. No ?salto? da bota, há que ressaltar a cidade de Bari, com o seu castelo e a Basílica de San Nicola, e as pitorescas vivendas em forma de pirâmide, conhecidas como Truli de Alberobello. Em Basilicata, imperdível uma visita ao maior conjunto de igrejas cavadas na rocha, em Matera, consideradas Património Mundial. 
Mar adentro, chegamos à Sardenha, a Ocidente do território continental. Cagliari é a cidade principal da ilha, que cativa cada vez mais os turistas, pela beleza natural, pelo património e pelas praias de águas cristalinas. Portobello, Chia, Palau, Pula, Costa Rei ou Casas de la Maddalena são apenas alguns exemplos. Na Sardenha, um local está classificado pela UNESCO, as Su Nuraxi de Barumini, torres circulares que serviram para proteger a ilha. Já a Sul do território italiano, a bela Sicília, que também articula de modo notável beleza natural e património arqueológico e histórico. O vulcão Etna é uma das atrações da ilha, que detém ainda a necrópole de Pantalica, a vila romana de Casale, a área arqueológica de Agrigento, as ilhas eólicas e as oito antigas cidades barrocas do Vale di Noto, todas Património da Humanidade. Nesta ilha, com 1500 kms de costa, são muitas as estâncias balneares a cativar os turistas, com destaque para Trapani, San Vito Lo Capo, Cefalu ou Siculiana. São praias ideais não apenas para apanhar sol, mas também para fazer mergulho ou outros desportos aquáticos.
Montanhas a Norte, cidades encantadoras onde cada metro guarda um tesouro, uma obra de arte, vilas construídas em autênticos penhascos sobre o mar, lagos e ilhas cativantes, castelos, palácios, estátuas, fontes, pontes e obeliscos. A Itália foi grandiosa num passado mais longínquo, no passado mais recente e, apesar de viver hoje momentos de incerteza económica, tem um presente que continua a encantar turistas. Trata-se do quinto destino mais visitado do mundo, sendo Roma a terceira cidade mais apreciada dentro da União Europeia.

QRCode: Itália



Área: 301.230 km²

População: 60.303.800

Capital: Roma (2.546.804)

Per capita (US$): 37.046

Língua: Italiano

Religião: Cristianismo