Bélgica

Casa dos edifícios principais da União Europeia e da NATO, a Bélgica (1839) ainda não consta na lista dos destinos turísticos mais apreciados do Velho Continente. Apesar disso, trata-se de um país amigável, com um património rico e cidades encantadoras, que não escondem o papel que desempenharam na História do país.
Coração da Europa, a Bélgica está dividida em duas regiões: a Flandres, em que se juntam Antuérpia, o Brabante Flamengo, a Flandres Ocidental, a Flandres Oriental e Limburgo, e a Valónia, que engloba o Brabante Valão, Hainaut, Liège, Luxemburgo e Namur. Na primeira das regiões fala-se o holandês, na segunda o francês. Já a capital, Bruxelas, é uma cidade bilingue. Em termos geofísicos, são 3 as regiões que podemos distinguir: a Planície Costeira, com dunas e bancos de areia abaixo do nível médio da água do mar, canais e diques, o Planalto Central, no Interior, com vales férteis, cursos de água e grutas e, por fim, as elevações de Ardenas, a região com terreno mais acidentado e onde se encontra o ponto mais alto do país, Signal Botrange, com apenas 694 metros de altitude. Escalda e Mosa são os rios principais em solo belga.
Cidade cosmopolita e centro das decisões europeias, Bruxelas é uma cidade, à partida, com poucos motivos de interesse. Um olhar mais atento mostra-nos locais bem interessantes para visitar, nomeadamente a Praça Maior, rodeada de belos edifícios do século XIX, as Casas do arquiteto Victor Horta, pai da ?Arte Nova? ou a Casa Stoclet, uma propriedade privada do arquiteto Josef Hoffaman. Estes locais são Património da Humanidade. Além destes, destacam-se em Bruxelas os muitos museus, o Palácio e o Castelo Real, a Torre Japonesa, a estátua de bronze Manneken Pis Fountain, a Catedral Saint Michel, com os seus belos vidrais, além de todo o aglomerado da ?cidade administrativa europeia? ou do pulmão da cidade, ?Le Bois de Chambre?.
Também na Flandres, destaque para Antuérpia, um importante ponto comercial, nomeadamente do comércio de diamantes. As sinuosas ruas dão um ar pitoresco à cidade, onde se pode visitar a Catedral de Notre-Damme (Património Mundial), a Igreja de São Paulo, a Catedral de Nossa Senhora, com obras do pintor Rubens, o edifício da Câmara ou o Grande Mercado. O porto ou a Fonte de Brabo são outros locais em destaque. Ainda em Antuérpia, destaque para o Museu Plantin-Moratus, com uma enorme coleção de material tipográfico, uma grande biblioteca, sendo uma das casas gráficas mais antigas do mundo e Património da Humanidade.
Capital da Flandres Ocidental, Bruges é mais uma cidade que merece destaque em território belga. Com ar medieval, a cidade conta com inúmeros canais, cercados de pórticos e moinhos. Vários museus, catedrais e ruas típicas marcam a paisagem da cidade, com casas tipicamente da região da Flandres antiga. Chamada de ?Veneza do Norte?, Bruges é Património Mundial da Humanidade. Ghent é mais uma cidade da parte flamenga do país, capital da Flandres Oriental. Com uma das mais antigas e famosas universidades da Bélgica, Ghent tem como atrativos principais as igrejas, os canais, as casas medievais, os castelos, o edifício Beffroi ou as muitas festividades que se realizam ao longo do ano.
Descendo até à zona francófona do país, encontramos a cidade de Liège, uma das principais. Atravessada pelo Rio Meuse, Liège conta com inúmeros museus, casas pitorescas e as conhecidas cristaleiras de Val Saint-Lambert. Em Hainault, têm interesse histórico os quatro elevadores hidráulicos, perto de La Louvière: Houdeng-Goegnies, Houdeng-Aimeries, Strépy-Bracquegries e Thieu, considerados Património Mundial. O mesmo título é atribuído aos sítios mineiros de Valónia, que se estendem ao longo de vários quilómetros e que testemunham a Revolução Industrial e o desenvolvimento que a ela se seguiu.
Realce ainda para Namur, nas Ardenas. Com rios profundos e bosques densos, o local é dos mais pitorescos do país. A cidadela, o museu, a Catedral de Saint Auban e a estátua equestre do rei Alberto I são os monumentos principais da cidade, capital da província com o mesmo nome. 
Com uma fauna e flora bem diversificada e um património de grande riqueza, a Bélgica tem mais que motivos para ser vista não apenas como o centro das grandes decisões da União Europeia, mas também pela História que as suas cidades contam e pelo dinamismo com que vivem o presente e preparam o futuro, bem no Centro do continente europeu.

QRCode: Bélgica



Área: 30.528 km²

População: 10.403.951

Capital: Bruxelas (1.975.000)

Per capita (US$): 27.792

Língua: Holandês, Francês

Religião: Cristianismo