Chile

Forma invulgar faz com que o país apresente realidades geográficas e climáticas diversas, opostas mesmo. Se no Norte predomina a aridez do deserto de Atacama, o centro é caraterizado por um clima mais temperado e por uma geografia menos acidentada. É precisamente no coração do Chile, o Altiplano, que se encontra cerca de 70% da população chilena. A Sul domina o clima alpino, sendo as paisagens um verdadeiro labirinto de lagos, vulcões e neve. ?Uma loucura de geografia?, como escreveu Pablo Neruda sobre o seu país.
País estável e com um desenvolvimento notável no contexto latino-americano, o Chile é um país rico não só em paisagens, mas também nos vestígios históricos que conserva e que são também motivo de interesse para os muitos turistas que afluem ao território. A Norte, misturam-se os tesouros arqueológicos, guardados em povoados que mantêm costumes ancestrais, com a riqueza ecológica, patente no Lago Chungará, no Vale da Lua ou nos Geiseres de Tatio. Arica é uma das localidades que encontramos nesta região. Vários museus tornam esta uma cidade atrativa, também por força dos vales que rodeiam o traçado urbano. Iquique é mais uma cidade do Norte, com praias e um passado mineiro bem acentuado. Humberstone e Santa Laura também preservam um passado de extração de minérios, sendo consideradas pela UNESCO Património Mundial da Humanidade.
As formações rochosas do Vale da Lua, as minas de cobre de Chuquicamata, os picos vulcânicos de Ollague, o povoado pitoresco de Tirana ou as águas termais de Mamiña são ouros locais de interesse no Norte do país, onde o Deserto de Atacama é rei e senhor. Este deserto seco é a zona mais árida do país, apresentando contudo alguns oásis, como o de San Pedro, ou o de Matilla. É ainda aqui que encontramos desenhos feitos pelos povos que foram passando pelo território, figuras pintadas nas formações rochosas, sendo o Gigante de Atacama a mais conhecida, já que se trata da maior representação humana do mundo. As praias de Autofagasta, assim como o seu bairro histórico, e Copiapó, com as plantas que brotam do deserto depois da época das chuvas, são mais duas povoações em destaque no Norte do Chile, local que vai receber, em breve, mais um tesouro: o maior telescópio do mundo, a instalar em Cerro Armazones, uma montanha com 3060 metros de altitude.
Seguindo para Sul, encontramos a cidade de La Serena, uma cidade onde a arquitetura neo-colonial domina. A Avenida do Mar, os vários complexos turísticos, a Rota do Pisco (onde se podem observar as diversas destilarias e vinhas), o porto de Coquimbo e as muitas praias - Tortoralillo, Morrillos, Guanaqueros, Playa Branca e Tongoy - é mais um ponto de paragem obrigatório antes de entrarmos no coração do Chile, o Altiplano.
Com cerca de 70% da população, esta zona também tem a particularidade de ter fácil acesso ao mar, a oeste, e às montanhas brancas do Andes, a Leste. Santiago, a capital, localiza-se precisamente nesta zona. Museus, palácios, miradouros, centros financeiros, praias e estâncias de esqui podem ser encontrados nesta cidade, que tem na Praça das Armas, na Catedral de São Domingo, no Palácio de a Moneda, no Parque O?Higgins as principais atrações. Outro atrativo da cidade é ?La Chascona?, uma das casas de Pablo Neruda, localizado no mais boémio dos bairros, o Bellavista.
?Cidade-jardim?, Viña del Mar é mais um local a conhecer. As pradarias, o Palácio Vergara, o Museu de Belas Artes, o Museu Naval, as várias praias e a vida noturna animada fazem desta cidade mais um ponto turístico no mapa do Chile. Daqui chegamos facilmente a Valparaíso, que conta com o principal porto do país. Casas coloridas, com marcas coloniais, dão a esta cidade um toque pitoresco, que muito agrada aos turistas. ?La Sebastiana? é mais uma das casas de Pablo Neruda, se bem que a mais conhecida fica em Isla Negra. Refira-se ainda que o centro histórico de Valparaíso, com várias igrejas, elevadores e caraterísticas de uma cidade industrial, é Património da Humanidade. O mesmo acontece com uma região próxima, a aldeia mineira de Sewell, também com casas de madeira coloridas e marcas das minas de extração de minérios.
Concepción fica logo abaixo no mapa. Esta é mais uma das cidades em destaque no Chile e tem como atrações principais as Torres ?Andes?, a Foz do Rio Bío-Bío, a Praça da Cidade e a Catedral. Já com caraterísticas geográficas diferentes chegamos à região dos Lagos, dominantes da paisagem chilena. Puerto Montt é a capital desta província, especialmente conhecida pela prática da pesca desportiva e pela existência de alguns vulcões, nomeadamente o de Osorno. Falando do Sul, é indispensável falar da Patagónia Chilena, mais uma zona fascinante, que compreende Valdívia, a região por excelência dos lagos, o lago Llanquilue, o arquipélago Chiloé (onde achamos mais um local classificado pela UNESCO, as igrejas de Chiloé, um conjunto vasto de edifícios religiosos, muitos construídos em madeira, entre os séculos XVIII e XIX), Puerto Montt (de onde se pode apanhar um cruzeiro para observar os fiordes até Puerto Natales), o sítio arqueológico de Monte Verde, bem como as Ilhas a Sul das regiões da Ainsén e Magallanes e a cidade portuária de Punta Arenas. Nesta zona do Chile, destaque ainda para as Torres del Paine, integradas num dos mais famosos parques do país. Lagos, rios, cascatas e glaciares compõem a paisagem inesquecível do local.
Além do território continental, onde abundam parques e reservas naturais, como os Parques de Lanca, Pan de Azúcar, Volcán Isluga, o Bosque Fray Jorge e os Parques Vicente Rosales e Quenlat, há muitos mais para conhecer no Chile, já no Oceano. O Arquipélago de Juan Fernández tem um ecossistema peculiar e um pico de 1500 metros de altitude. A maior ilha do arquipélago tem o nome de Robinson Crusoe e uma população de cerca de 600 habitantes. Sem qualquer habitante temos a ilha Sala Y Gomés, uma ilha vulcânica na região de Valparaíso. Destaque ainda para as Ilhas Desventuradas, duas ilhas e algumas ilhotas, também desabitadas. Mas falar em ilhas pertencentes ao Chile é pensar imediatamente no ?umbigo do mundo?, a Ilha da Páscoa.
Envolta em lendas e mistério, esta ilha faz as delícias de milhões de turistas. Como que perdida no Pacífico a ilha da Páscoa é cenário das figuras em pedra mais misteriosas do planeta, as moai ? esculturas enormes feitas a partir de material vulcânico, que chegam a ter mais de 20 metros. Voltadas para o Oceano, estas estátuas têm histórias para contar, mas que ainda ninguém as conseguiu decifrar, daí que continuem a fascinar os investigadores. Além das estátuas, na ilha destaca-se a vila cerimonial de Orongo, na cratera do vulcão, onde se encontram casas dos antepassados responsáveis pelas moai. Património da Humanidade, o Parque Nacional Rapa Nui inclui toda a ilha e é um verdadeiro museu ao ar livre, que torna este um lugar realmente mágico, um dos maiores tesouros, talvez o maior, do estreito mas longo Chile.

QRCode: Chile



Área: 756.950 km²

População: 17.248.450

Capital: Santiago (5.631.839)

Per capita (US$): 14.413

Língua: Espanhol

Religião: Cristianismo