Zimbabué

Zimbabué ? Os problemas políticos e o caos económico que o país tem vivido nos últimos anos não anulam as potencialidades do Zimbabué no que toca ao turismo. Uma beleza natural única e a envolvência de culturas místicas fazem deste país da África Austral um paraíso para os apreciadores da Natureza. Independente desde 1965, a antiga Rodésia do Sul partilha com a Zâmbia as Cataratas de Vitória, um dos locais mais imponentes do continente negro. ?O fumo também troveja? do lado de cá da fronteira do Zimbabué e há locais privilegiados para observar as quedas de água, como o Danger Point, com vista para as Cascatas do Arco-Íris ou as encostas de onde se observam as Cascatas do Diabo.
O país, na verdade, está recheado de quedas de água, de lagos cristalinos e de uma riqueza natural impressionante. O Parque Nacional de Mana Pools e as zonas de safari de Sapi e Chewore são disso exemplo. Com escarpas e falésias imponentes, o parque tem uma fauna e flora ricas e é visitado anualmente por milhares de turistas. O parque é Património Mundial desde 1984. Mas são muitos os locais onde se podem observar animais ou plantas ímpares. O Parque Nacional de Wenke, o Parque dos Leões, as Piscinas de Hipopótamos, o Parque Ballantyne ou o Parque das Cobras são poucos exemplos daquilo que se pode encontrar em todo o território para os amantes da vida selvagem.
Piscinas de água cristalina também podem ser vistas junto do lago Kariba, o segundo maior lago artificial do mundo. O Parque de Chinhojei também merece visita, assim comos as cascatas Mtarazi, no Parque Nacional Rhodes Nyanga. O explorador chamou a outro local impressionante do Zimbabué a ?Vista do Mundo?, as Montanhas Motobo, Património Mundial da UNESCO, pelo valor geológico do local, que conta com estranhas formações rochosas, cujas formas resultam da erosão do vento.
Além da beleza natural, também a história do país se mantém viva e é muito valorizada pela população local. As ruínas de Khami, que revelam que ali foi um centro de trocas comerciais importantes, bem como o Monumento Nacional do Grande Zimbabué (onde vivia o rei e onde se faziam treinos militares) são ambos Património Mundial da Humanidade desde 86, pello valor histórico que têm e pela realidade passada que perpetuam.
Das zonas mais naturais para as cidades, comecemos com Harare, a capital e cidade mais populosa do país, que é também um dos centros comerciais mais dinâmicos da África Subsariana. O Museu Nacional Rainha Vitória, a Catedral Anglicana ou os Jardins da Praça da Unidade Africana são pontos a visitar na capital do país. Outra cidade importante é Mutare, onde de podem visitar inúmeras igrejas e várias reservas naturais. Os jardins Aloe e as Colinas Murahwa (com várias pinturas rupestres) são outros locais a não perder. Referência ainda para Masvingo, cidade onde vale uma visita o templo e a acrópole, e para as ruínas do Reino Monomotapa. História e Natureza misturam-se no país que, apesar das dificuldades, sabe do potencial turístico que guarda. Até 2015, o Zimbabué pretende abrir portas a 5 milhões de turistas. Motivos para uma visita, esses, de facto, não escasseiam.

QRCode: Zimbabué



Área: 390.757 km²

População: 12 576 741

Capital: Harare (1.542.813)

Per capita (US$): 268

Língua: Inglês, Shona e Ndebele

Religião: Cristianismo, Crenças Africanas