Rep. Dem. do Congo

Não é um destino aconselhado aos turistas pelos dias conturbados que ainda vive. A República Democrática do Congo (antigo Zaire), independente desde 1960, é o segundo maior país do continente negro mas onde os conflitos armados têm vindo a ceifar milhões de vidas, pelo que uma ida a este vasto e verde país tem que ser feita com toda a cautela.
Com um dos mais baixos PIB?s do mundo, o país é, paradoxalmente, dos mais ricos em recursos naturais. Além destes, ressalte-se ainda a riqueza cultural (falam-se cerca de 700 dialetos no território), e a enorme variedade de espécies animais e vegetais, que resultam em 5 locais classificados pela UNESCO: o Parque Nacional Garamba, um dos mais antigos de África, e que alberga os famosos rinocerontes-brancos, o Parque Nacional Kahuzi-Biega, onde habitam os últimos gorilas-do-ocidente, a Reserva de Fauna de Okapis, habitat de boa parte da população desta espécie animal, o Parque Nacional Salonga, a maior reserva florestal do continente e que alberga os bonobos, e, finalmente, o Parque Nacional Virunga, o primeiro a ser criado em África e que se situa junto do Parque dos Vulcões. Apesar da beleza dos cinco locais, as guerras civis colocam-nos como Património em Perigo.
Nas margens do Congo, encontramos a capital do país, Kinshasa, a terceira capital mais populosa de África. A capital fica numa das margens do rio, com vista para Brazzaville, capital da República do Congo. Trata-se do único local do mundo em que duas capitais estão apenas separadas por um rio. Grandes contrates podem ser detetados em Kinshasa: pobreza e luxo, áreas comerciais e espaços verdes, prédios e favelas. O zoo, o Mercado dos Artistas, o People?s Palace, a Avenida 30 de Junho ou o Santuário para bonobos órfãos são alguns dos locais de maior destaque na cidade.
Nos arredores da capital, imperdível uma visita às Cataratas de Zongo, com incríveis paisagens. O Parque Botânico, bem como as praias de areia fina de Mufti também valem uma visita. Mais a Oeste, também merece uma passagem a cidade portuária de Boma. Caminhando para o Centro do país, encontramos a terceira cidade mais populosa, Mbuji-Mayi e, a Sudeste, a segunda maior, Lubumbashi. O Museu Nacional, o Jardim Zoológico e os edifícios universitários são as principais atrações da cidade.
Outros pontos de interesse no país situam-se a Leste, na região dos Grandes Lagos, onde o Kivu e o Tanganica captam atenções. Goma, junto ao Kivu, é uma cidade que vive ainda muito marcada pela presença de milhares de refugiados vindos do vizinho Ruanda, desde a altura do genocídio. Em Bukavu, destaque para um monumento religioso, a Catedral de Nossa Senhora da Paz. Nas margens do Tanganica, destaque para Uvira, com um porto, o Kalundu. A cidade tem ligação por estrada à capital do Burundi, Bujumbura.
A bacia do Rio Congo, que corta o país em forma de ?U?, as cadeias montanhosas de Mitumba, Virunga e Ruwenzori, bem como o Monte Stanley que, com 5.109 metros de altitude recebe o título de terceira maior montanha da África são outros locais com vista privilegiada sobre um vasto país, rico em recursos, pobre em paz, ainda que parte da população seja amistosa.

QRCode: Rep. Dem. do Congo



Área: 2.344.858 km²

População: 63.655.000

Capital: Kinshasa (10.076.099)

Per capita (US$): 311

Língua: Francês, Línguas Nativas

Religião: Cristianismo