Rep. Centro-Africana

Situada no meio do continente africano, a República Centro-Africana (1960) debate-se ainda hoje com as consequências dos permanentes conflitos armados de que foi palco durante largos anos. A juntar às vidas perdidas, o país conta com milhares de refugiados, que ainda permanecem em campos carentes de condições que povoam este país, que faz fronteira com o Chade, o Sudão, o Sudão do Sul, os Camarões, a República do Congo e a República Democrática do Congo.

Bangui é a capital e a cidade com maior número de habitantes. Centro administrativo e comercial do país, esta cidade tem algumas atrações como o Museu Boganda, o Zoo, o Palácio Presidencial ou a Catedral de Nossa Senhora da Imaculada Conceição. Com marcas ainda bem visíveis do passado colonial, Bangui é banhada pelo principal rio do país, o Ubangui. É pelas margens deste rio que se podem encontrar várias povoações, cada uma com as suas tradições e costumes. A diversidade cultural é, aliás, característica do país, que conta com mais de 80 grupos étnicos. 
Com uma esperança média de vida que não chega aos 50 anos, um taxa de analfabetismo que alcança os 60% e uma economia quase limitada à agricultura de subsistência, a República Centro-Africana figura na lista dos 10 países mais pobres do mundo, daí que não seja de estranhar os pedidos de ajuda urgentes para a sua população e a presença das organizações internacionais no seu território. As jazidas minerais abundam num país repleto também de savanas, mas a extração e exportação de diamantes e ouro não têm conseguido resultar numa melhoria das condições de vida da população. Riqueza só mesmo em termos naturais, dada a variedade de ecossistemas, nomeadamente nos dois locais classificados pela UNESCO como Património Mundial: o Parque Nacional de Manovo-Gonda St. Floris, onde habitam rinocerontes, elefantes, leopardos e várias espécies de aves aquáticas, e o Trinacional Sangha (que ocupa também território dos Camarões e da República do Congo), onde estão três parques nacionais contíguos, sendo habitat de várias espécies em risco, como o crocodilo do Nilo ou o tigre goliat.

As dificuldades marcam o dia-a-dia dos habitantes deste país, visitado pelo Papa Francisco, naquela que foi considerada uma das mais delicadas viagens que já efetuou durante o seu pontificado. Conhecedor da pobreza da República Centro Africana, o sumo pontífice levou até ao coração de África uma mensagem de esperança, de diálogo inter-religioso e de paz.


QRCode: Rep. Centro-Africana



Área: 622.984 km²

População: 4.444.330

Capital: Bangui (542.393)

Per capita (US$): 726

Língua: Francês, Sangho

Religião: Cristianismo, Islamismo, Crenças Africanas