Malásia

A Malásia (1957) oferece ao visitante um dos mais acessíveis sabores asiáticos. É um país calmo, rico, seguro e muito fácil de visitar. E não faltam motivos para uma visita. Tem praias quase perfeitas, sítios onde a História fala bem alto, cidades agitadas, uma gastronomia interessante e um povo afável. A alimentação, a acomodação básica e os transportes são muito baratos, o que torna o destino ainda mais apetecível.
Podemos dividir o país em duas regiões; a peninsular e a insular, na ilha do Bornéu. Se quisermos praias e ilhas tropicais de água quente e areia branca, temos a costa oriental peninsular, uma das mais procuradas pelos turistas. Na parte oeste da península encontramos o antigo porto de Malaca, com uma riqueza histórica deixada sobretudo por portugueses e holandeses. Na cidade, a praça portuguesa, com mesquitas e museus, assim como a praça holandesa, também recheada de museus, são marcas da passagem dos europeus pelo local. A Porta de Santiago é o que resta d? ?A Famosa?, um forte português que, em tempos, integrou igrejas, palácios e castelos. O templo de Cheng Hoong Teg é outro local a visitar em Malaca, uma das cidades mais atraentes para os turistas, mesmo para os que procuram praias. Blebang e Tanjung são as mais conhecidas da zona.
Outra boa opção é andar nas calmas e sossegadas ruas de Georgetown, cuja zona histórica, bem como a de Malaca, são consideradas Património Mundial da Humanidade. A paisagem cultural e arquitetónica de ambas as cidades são únicas no continente asiático. A serenidade e a história de Georgetown contrastam com o modernismo e ritmo frenético de Kuala Lumpur. A capital tem nas Torres Petronas, atualmente o 6º edifício mais alto do mundo, um dos seus bilhetes-postais. A Mesquita Nacional, com um minarete de 73 metros, a Mesquita Masjid Jame, rodeada de coqueiros, o Monumento Nacional, uma estátua em bronze situada nos Jardins do Lago (local de descanso dos habitantes da cidade) são algumas das atrações da cidade, integrada no Estado de Selangor, onde se pode visitar também a mesquita do Sultão Sab Huddin Abdul Azziz Shah.
Na ilha do Bornéu, em Sarawak, encontramos montanhas e parques naturais com uma flora e fauna incríveis. Imperdível ainda uma passagem por dois parques, Património Mundial da Humanidade, o Gunung Mulu, com belas cavernas numa das florestas-de-chuva. Realce-se que a câmara de Sarawak é considerada a maior caverna do mundo. Vários habitats, florestas tropicais e várias espécies animais podem ser encontradas no Parque Kinabalu. Em Sabah (?Terra debaixo do Vento?), podemos explorar rios e mergulhar observando uma variedade imensa de peixes tropicais - ilha de Sipadam, ou ainda visitar a única mesquita de Mabul, em Sabah. As ilhas de Perhentian também são dos locais mais procurados por quem procura a calma das praias de águas cristalinas.
A Malásia tem uma fantástica variedade geográfica e cultural e a população espelha esta grande diversidade do país. A profusão racial de chineses, indianos, eurasiáticos e malaios, oferece-nos uma variedade ímpar em cada região, parque, cidade, mercado, artesanato e folclore, nunca visto em nenhum outro lugar. Jahor, Negeri Sambilan, Selangor, Perak, Perlis, Pahang ou Terenggganu são estados onde a mescla da arquitetura incrível com a beleza natural impressiona. Belos templos contrastam com paisagens verdejantes, igrejas e mesquitas perdem-se em vastas florestas e praias deslumbrantes banham paisagens de um verde incrível. A Malásia é um país em rápido crescimento e visitá-lo torna-se uma experiência inesquecível, para todos os gostos. É mais uma pérola que a Ásia oferece ao mundo.

Ver post, fotos e livro.

QRCode: Malásia



Área: 329.847 km²

População: 27.730.000

Capital: Kuala Lumpur (1.475.337)

Per capita (US$): 14.400

Língua: Malaio e Inglês

Religião: Islamismo e Budismo