Índia

Índia ? Foi berço de civilizações, um dos pontos do Globo mais importantes no que diz respeito às trocas comerciais e cenário de vastos impérios. A Índia, o segundo país mais populoso do planeta, é hoje um importante foco económico e até académico. O desenvolvimento que tem avassalado o país não secundariza a importância do riquíssimo passado histórico, em que os portugueses também tiveram uma importante palavra a dizer. Guardando em si a cidade sagrada do Hinduísmo, Varanasi, este é um país rico em diversidade. Diversidade cultural, diversidade religiosa, diversidade social, diversidade de modos de vida, de formas de a ver e de a encarar.
A Índia é um país cativante, de Norte a Sul, incluindo as paisagens dos Himalaias, o deserto do Thar (que pode ser conhecido a bordo de um dos mais luxuosos comboios do mundo, o Maharajas? Express), as praias das cidades costeiras, a calma dos muitos lagos que abundam no país. Trata-se de um território colorido, onde qualquer pessoa é levada a deixar-se fascinar. No maior estado do país, Rajasthan, encontramos cidades de todas as cores: Jaisalmen, ?a cidade dourada?, cuja cor das habitações não difere do tom das dunas desérticas que rodeia a metrópole, Jodhpur, ?cidade azul?, onde a cor do céu foi escolhida para adornar os edifícios em torno do Forte de Mehrangarth, uma das principais atrações da cidade, Jaipur, ?cidade rosa?, que resulta da vontade de um marajá de colorir os edifícios para acolher o Príncipe de Gales, em 1876, e ainda Udaipur, a cidade com muito apelidos ? ?Cidade Branca?, ?Cidade do Lagos? ou ?Veneza do Oriente?. Trata-se de mais um local fascinante, em que os lagos dão uma beleza rara aos muitos palácios, alguns agora convertidos em hotéis e localizados precisamente no meio dos lagos.
Nas margens do Rio Yamuna encontramos a cidade de Agra, que guarda uma das 7 Maravilhas do Mundo, o Taj Mahal, considerado a ?maior prova de amor de sempre?. O famoso mausoléu é o cartão postal desta cidade e um dos 28 locais na Índia que a UNESCO classifica como Património da Humanidade. 5 deles são de cariz natural, os restantes 23 de cariz histórico e cultural. Os Parques Naturais de Kaziranga (habitat dos rinocerontes de um só chifre), o de Keoladeo (por onde passam grous siberianos ou pássaros vindos do Afeganistão) e o de Sundarbans (onde se registam processos ecológicos de enorme interesse) são três das maravilhas naturais, a que se juntam o Santuário de Vida Selvagem de Manas, aos pés dos Himalaias e que alberga inúmeras espécies em vias de extinção, e Nandi Devi e o Parque Natural do Vale das Flores, uma bacia glaciar, rodeada de picos montanhosos e um parque com uma fauna e flora muito diversificadas.
As marcas religiosas são quase sempre características das outras 23 atrações classificadas pela UNESCO: o Forte de Agra, as Cavernas de Ajanta, os Monumentos Budistas de Sanchi, o Parque Arqueológico de Champaner, a Estação de Chhatrapati Shivaji, as Igrejas e Conventos de Goa, as grutas Elephanta, as Grutas Ellora, a Fatehpur Sikri, os Grandes Templos Vivos de Chola, os Monumentos de Hampi, os Monumentos de Mahabalipuram, os Monumentos de Pattadakal, a Tumba de Humayn, os Monumentos de Khajuraho, o Templo Mahabodhi em Bodh Gaya, os Caminhos-de-ferro das montanhas da Índia, Qutb Minar, o Complexo Fort Red, os abrigos rochosos de Bhimbetka, o Templo do Sol em Konârak, o Taj Mahal e o Jantar Mantar. Palácios, fortificações, mausoléus, castelos, templos de religiões diversas, palco de eventos do mais variado que existe, centros de culto, com uma riqueza patrimonial imensa. A Índia é, sem dúvida, um país com segredos enormes a desvendar. Estes são apenas alguns dos locais onde se pode tentar fazê-lo.
A capital, Nova Deli, é um centro económico bem movimentado e que aloja, entre muitos locais de interesse, o famoso Templo de Lótus, uma das maiores casas de adoração da fé Bahá?i. Já a fé do Hinduísmo é clara na cidade banhada pelo Ganges, Varanasi, uma cidade cheia de cor e onde o rio centra as atenções dos milhares de peregrinos que acorrem ao local anualmente. Local de menos paz e mais perturbação será a região de Cachemira que, apesar dos belos lagos, palácios e templos, não deixa de ser palco de um já velho conflito com o vizinho Paquistão, que reivindica parte do território.
Com maior importância também na História de Portugal, destaque para as cidades de Bombaim, que se mantém como o maior centro comercial da Índia e que é, em simultâneo, a casa do Bollywood (a indústria cinematográfica indiana). Goa, na costa do Mar da Arábia, foi a capital do Estado Português da Índia e também está recheada de fortes, templos e praias que vale a pena conhecer. Cochim, no Sul do país, também é ponto de paragem obrigatório. A imponente Fortaleza ou a Sinagoga são locais que merecem uma visita nesta cidade. Calcutá, com as suas catedrais, ou as Ilhas de Andaman e Nicobar também figuram na lista dos sítios por onde passar vale a pena.
Se o cenário é atrativo na Índia, não menos interessante é a gastronomia do país, em que as especiarias são rainhas. Quanto às tradições também não faltam. Eventos como o Festival do Deserto, o Holi, o Diwali, o Durja Puja ou o Vesak são apenas alguns exemplos das manifestações culturais do povo indiano, um povo muito heterogéneo mas cuja mistura resulta de forma sublime, a combinar com a beleza natural e arquitetónica do país.

QRCode: Índia



Área: 3.287.590 km²

População: 1.210.193.422

Capital: Nova Deli (12.259.230)

Per capita (US$): 1.527

Língua: Hindi, Inglês e 21 línguas indígenas

Religião: Hinduismo, Islamismo e Cristianismo